Compartilhe com os amigos!

A tal da ansiedade.

BY Nachara Zen Costa IN , , , , ,



Sabe quando você experimenta um aperto no peito, se sente oprimido, com ou sem motivo aparente, seu coração pode pular do peito e parece que algo vai acontecer a qualquer momento, você transpira, tem falta de ar, tudo isso acompanhado ainda, de um “frio na barriga” (muito confundido com fome), medo do futuro, tremor e tristeza. Esse sentimento se chama ANSIEDADE.



A ansiedade pode aparecer em diversos momentos, pode acontecer “do nada” quando você estava se sentindo bem, mas surge sem explicação aparente. Em outras ocasiões esse sentimento pode estar ligado a alguma preocupação ou sensação de insegurança. Quando a gente se encontra em algum momento difícil é quase inevitável sentirmos ansiedade.

Se você fica ansioso, é importante saber que esse sentimento está ligado também à respiração. A pessoa ansiosa respira rapidamente e sem perceber prende a respiração por alguns segundos, enfim, o respirar fica desregulado, o que aumenta muito as sensações desagradáveis que se somam à impressão de sufocamento e peito apertado.

A ansiedade pode ser também um indicativo de depressão, pessoas deprimidas são predispostas a sofrer deste sintoma, mas nem sempre quem tem ansiedade sofre de depressão, esse sentimento pode estar associado também a traumas, complexos, mudanças na vida, meio ambiente repressor ou desgastantes dentre outras hipóteses. Cada caso deve ser analisado individualmente.

É bom saber que a ansiedade não é somente algo ruim, na verdade é um sinal de alerta que nos adverte sobre perigos eminentes, um recurso utilizado para nos preparar, por exemplo: quando temos uma prova, precisamos tomar uma decisão ou temos um encontro importante, provavelmente nos sentiremos ansiosos e isso é natural, vem da nossa evolução como espécie, nosso organismo nos dá uma carga extra de adrenalina e é importante para que nos preparemos para o que está por vir.

Concluindo: a ansiedade é uma reação normal, mas não deve ser um estado normal, assim como a febre, é uma reação normal do corpo contra uma infecção, mas não é normal que você esteja sempre com febre, certo? Por isso, se essas sensações aparecem de forma momentânea elas fazem parte das nossas vidas, já que não podemos controlar o que ocorre à nossa volta e isso gera uma apreensão danada, não é?

Por outro lado, observe-se: se a sua ansiedade parece estar mais intensa que o normal, se está muito freqüente, se ela dura por muito tempo e ao invés de contribuir com o enfrentamento das situações está prejudicando algum aspecto da sua vida, e ainda, se você não consegue identificar o que está te deixando assim, ou até identifica, mas ainda não sabe como lidar com isso, é importante que você exercite seu auto-conhecimento, e não tenha medo de procurar ajuda de um profissional, eles são especializados no assunto e podem te ajudar a resolver o que te aflige.

A psicoterapia comportamental é uma das ferramentas que temos para tratar a ansiedade patológica ( a ansiedade que está sendo prejudicial) e vem mostrando muitos resultados positivos no tratamento. Nesse tipo de terapia há atividades que são realizadas dentro ou entre as sessões, e o aprendizado de habilidades e comportamentos que ajudam a enfrentar essa patologia. No processo de psicoterapia a pessoa entende melhor como funciona a própria ansiedade, e as melhores formas de administrá-la focando tanto nas causas como nos sintomas, agindo sobre os dois.

Com a ajuda do psicólogo, a pessoa vai aprendendo a diminuir a ansiedade, descobrindo novos modos de enfrentar as adversidades e modificando o que está por trás desses sintomas, quais pensamentos, comportamentos e situações que estão gerando esse conflito.

A psicoterapia visa a melhora da qualidade de vida de quem a procura, pense nisso!